"NOVO" ENSINO MÉDIO: DERIVA DE SENTIDOS EM UMA PROPAGANDA TELEVISIVA DO GOVERNO FEDERAL

Autores

Palavras-chave:

Trabalho, Formação integral, Ensino médio, Sociologia do discurso, Análise do discurso de base enunciativa

Resumo

Este artigo, à luz de um viés discursivo, parte da materialidade linguística presente em sete quadros recortados de um vídeo de propaganda televisiva do Novo Ensino Médio pelo Governo Federal para investigar a deriva de sentidos postos em circulação acerca da enunciabilidade inscrita nos discursos sobre trabalho e formação integral. A análise ancora-se na sociologia do discurso do Círculo de Bakhtin, tomando por base especialmente a concepção de material ideológico sígnico (VOLÓCHINOV, 2017 [1929; 1930]), e na AD de base enunciativa, a partir de fundamentos da semântica global proposta por Maingueneau (2008). Os resultados reforçam o efeito de silenciamento (ORLANDI, 2007) que atravessa essa medida do Governo, na qual a educação em nível médio tende a não contemplar a dimensão humana (integral), não concebendo o trabalho em sua dimensão educativa, ontológica, como constitutivo do homem, por meio do qual o indivíduo dá sentido ao mundo em que vive.

Biografia do Autor

Carlos Fabiano de Souza, Instituto Federal Fluminense/Universidade Federal Fluminense

Doutorando em Estudos de Linguagem pela UFF. Mestrado em Estudos de Linguagem pela mesma instituição. Professor de inglês do quadro permanente do Instituto Federal Fluminense Campus Cabo Frio-RJ.

Downloads

Publicado

2022-01-25