PERSONAGENS DO FOLHETIM: ESTEREÓTIPOS E LINGUAGEM

Autores

Palavras-chave:

Livro de bolso. Linguagem, Romance-folhetim. Secretárias. Semiótica.

Resumo

Este artigo teve como objetivo a análise sobre a função social do gênero romance-folhetim, no formato de livro de bolso, e suas repercussões nas representações e estereótipos sobre a mulher, em especial sobre o ofício de secretária. Como objeto, se examinou o livro “A secretária”, publicado no Brasil em 1968. As análises foram realizadas diante da perspectiva da Semiótica, na relação entre signo, objeto e significado, e da Linguística, na expressão da narrativa ficcional. Considerou-se, ainda, o diálogo com os pressupostos da História Cultural com vistas à analise sobre sentidos incorporados e ensejados sobre o mundo social a partir dessas leituras. O exame sobre o romance-folhetim indicou um discurso constituinte de intenções morigeradoras que o papel da mulher na sociedade

Biografia do Autor

Rosimeri Ferraz Sabino, Universidade Federal de Sergipe (UFS)

Professora Adjunta do Centro de Ciências Sociais Aplicadas da Universidade Federal de Sergipe.

Antônio Ponciano Bezerra, Universidade Federal de Sergipe

Professor Titular da Universidade Federal de Sergipe (UFS), docente no Programa de Pós-Graduação em Letras da UFS.

Downloads

Publicado

2020-03-31