A NOÇÃO DE ACONTECIMENTO À LUZ DA ANÁLISE DO DISCURSO, DA SEMÂNTICA DO ACONTECIMENTO E DA SEMIÓTICA TENSIVA

Autores

Palavras-chave:

Acontecimento. Análise do discurso. Semântica do acontecimento. Semiótica tensiva.

Resumo

No âmbito dos estudos textuais/discursivos, na década de 1980, foi introduzido o conceito de acontecimento pela análise do discurso (AD) pêcheutiana. A partir dos anos 2000, outras perspectivas teóricas, como a semântica do acontecimento, apropriando-se à sua maneira do referido conceito da AD, correlacionam a enunciação, como um acontecimento de natureza histórico-social, com a língua (o sistema). Uma terceira corrente de estudos discursivos, a semiótica da Escola de Paris, especificamente em sua vertente tensiva, desenvolve também a seu modo outra noção de acontecimento: algo da ordem do inesperado e do impactante. Assim, neste artigo, procuramos reunir os pontos em comum acerca dos conceitos de acontecimento, a partir das referidas teorias, mas, sobretudo, objetivamos salientar suas diferenças conceituais e epistemológicas.

Biografia do Autor

Conrado Moreira Mendes, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais

Professsor do Programa de Pós-graduação em Comunicação Social da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Doutor em Semiótica e Linguística Geral pela Universidade de São Paulo.

Jocyare Cristina Pereira de Souza, Universidade Estadual de Campinas.

Doutora e Pós-Doutora em Linguística pela Universidade Estadual de Campinas.

Sueli Maria Ramos da Silva, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Professora Adjunta da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul e Doutora em Semiótica e Linguística geral - FFLCH-USP. 

Downloads

Publicado

2020-03-31