Estados paradoxais das ordens do ver e do dizer: a identidade da mulher brasileira em uma propaganda institucional de homenagem ao dia internacional da mulher

Autores

  • Jefferson Gustavo dos Santos Campos Universidade Estadual de Maringá
  • Dulce Elena Coelho Barros Universidade Estadual de Maringá/Programa de Pós-Graduação em Letras

Palavras-chave:

Propaganda institucional, Identidade feminina, Determinações sociais, Contradição

Resumo

Neste artigo, analisamos a propaganda institucional videográfica da Caixa Econômica Federal de homenagem ao Dia Internacional da Mulher, veiculada no ano de 2010. Com base nos pressupostos da Análise Crítica do Discurso (ACD) em suas relações profícuas com algumas noções da Análise de Discurso dita francesa e com os estudos dos gêneros multimodais, buscamos demonstrar a sustentação da identidade marginalizada da mulher nessa materialidade a partir do que chamamos de ‘estados paradoxais das ordens do ver e do dizer’. Considerando a relação direta entre a materialidade textual, em sua composição multimodal, e as relações sociais que dela derivam, apontamos a contradição entre homenagear, no nível verbal, e homenagear, no nível imagético. A inflexão da materialidade sobre os sentidos denuncia a permanência, ainda que latente, das determinações sociais sobre as práticas de linguagem das e nas quais se fundam a identidade da mulher brasileira.

Biografia do Autor

Jefferson Gustavo dos Santos Campos, Universidade Estadual de Maringá

Mestrando no Programa de Pós-Graduação em Letras na àrea de concentração "Estudos Linguísticos", linha de pesquisa "Estudos do Texto e do Discurso".

Dulce Elena Coelho Barros, Universidade Estadual de Maringá/Programa de Pós-Graduação em Letras

Doutora em Linguística (UnB). Professora Adjunta no Departamento de Letras e professora colaboradora no Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Estadual de Maringá

Downloads

Publicado

2014-10-06

Edição

Seção

Artigos de pesquisa