Das batalhas identitárias às práticas de liberdade: histórias de vida de uma professora negra

Autores

  • Marluce Pereira da Silva
  • Carmen Brunelli de Moura
  • Francisca Maria de Souza Ramos Lopes

Palavras-chave:

Projetos identitários, Práticas de liberdade, Professora negra

Resumo

Neste artigo, analisa-se a produção de sentidos na autonarrativa de uma professora negra ao construir seus projetos identitários concernentes à trajetória escolar e profissional, aos arranjos afetivo-conjugais face ao seu pertencimento racial. Define-se como questão norteadora da discussão: em que medida a docente assume posicionamentos discursivos que refletem a interação entre seus anseios pela liberdade individual e/ou a segurança que a comunidade oferece? Utilizam-se como dispositivos analíticos as teorizações foucaultianas, articuladas a estudos étnico-raciais, identitários e noções da Análise do Discurso Francesa (AD). Concluiu-se que a docente, em seus roteiros autobiográficos, se muniu de estratégias que traduzem batalhas por ela travadas ao construir seus projetos identitários, à medida que institui uma história de vida traduzida por efeitos que contradizem discursos que a história reservou a negros/as.

Biografia do Autor

Marluce Pereira da Silva

Professora da Universidade Federal da Paraíba. Dra. Em Linguística e Letras pela Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”(UNESP).

Carmen Brunelli de Moura

Professora do Departamento de Letras da Universidade Potiguar (UnP). Dra. Em Estudos da Linguagem pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Francisca Maria de Souza Ramos Lopes

Professora Adjunta do Departamento de Letras da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN). Dra. Em Estudos da Linguagem pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Downloads

Edição

Seção

Artigos