Fatores críticos na implantação do Balanced Scorecard-BSC

Autores

  • Fábio Augusto de Lucca Moreira UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ
  • Maria Naiula Monteiro Pessoa UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ
  • Augusto Cezar de Aquino Cabral UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ
  • Sandra Maria dos Santos UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ
  • Vivianne Pereira Salas Roldan UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ

DOI:

https://doi.org/10.19177/reen.v5e3201257-89

Palavras-chave:

Fatores Críticos. Balanced Scorecard. Indústria de Entretenimento

Resumo

Inúmeras questões podem ser levantadas acerca dos fatores críticos para a implantação de modelos de gestão como o Balanced Scorecard (BSC). O êxito demanda a compreensão do modelo, por parte da equipe de implantação e dos colaboradores envolvidos. Ressalta-se que a indústria do entretenimento, em que se insere o Beach Park Hotéis e Turismo, possui particularidades que tornam ainda mais desafiadora a implantação do BSC, sendo um segmento que tenderá a crescer a uma taxa de 10,6% ao ano até 2016. Tendo por foco esta organização e contexto, este estudo tem como objetivo identificar os fatores críticos da implantação do BSC, mediante um estudo de caso, descritivo. Os resultados evidenciaram os seguintes fatores críticos no insucesso na implantação do BSC: a ausência de uma cultura de planejamento estratégico; a complexidade do negócio e do projeto; o histórico de um estilo de gestão centralizador e autoritário; a centralização do BSC no topo; restrição de tempo dos gestores para se dedicar ao projeto; a falta de um sistema de informação, para dar suporte ao projeto; a não realização de treinamentos e o despreparo da consultoria externa. Na promoção da mudança organizacional, faltaram o envolvimento adequado das lideranças e o apoio da gestão da cúpula. Em casos de sucesso, o histórico de uma gestão voltada para o aprendizado, serve como base para a definição adequada das necessidades críticas da organização, e na definição dos indicadores adequados, fatores que, no caso em foco, mostraram-se ausentes em uma empresa sem cultura de planejamento.

 

Biografia do Autor

Fábio Augusto de Lucca Moreira, UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ

Mestre em Administração e Controladoria pela Universidade Federal do Ceará (Av. da Universidade, 2486 – Benfica. Fortaleza-Ce. CEP: 60020-180).

Maria Naiula Monteiro Pessoa, UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ

Doutora em Engenharia da Produção (UFSC) e professora do Programa de Pós-Graduação em Administração e Controladoria, da Universidade Federal do Ceará (Av. da Universidade, 2486 – Benfica. Fortaleza-Ce. CEP: 60020-180).

Augusto Cezar de Aquino Cabral, UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ

Doutor em Administração(UFMG) e professor do Programa de Pós-Graduação em Administração e Controladoria, da Universidade Federal do Ceará (Av. da Universidade, 2486 – Benfica. Fortaleza-Ce. CEP: 60020-180).

Sandra Maria dos Santos, UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ

Doutora e pós-doutora em Economia (UFPE) e professora do Programa de Pós-Graduação em Administração e Controladoria, da Universidade Federal do Ceará.

Vivianne Pereira Salas Roldan, UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ

Mestre em Administração e Controladoria (UFC) e Professora da graduação semipresencial em Administração da Universidade Federal do Ceará

Downloads

Publicado

2012-12-19

Edição

Seção

Artigos Científicos