ESTRUTURA E DESEMPENHO DE UMA CLÍNICA MÉDICA BRASILEIRA: A ORQUESTRAÇÃO DA AUTONOMIA PROFISSIONAL E DA EFETIVIDADE DO ATENDIMENTO

Autores

  • Inayara Valéria Defreitas Pedroso Gonzalez Universidade Federal do Espírito Santo http://orcid.org/0000-0003-4873-0101
  • Pamela Rodrigues Moreira Faculdade Estácio de Sá de Vitória (FESV)
  • Edilene Costa Santos Faculdade Estácio de Sá de Vitória (FESV)

DOI:

https://doi.org/10.19177/reen.v12e12019119-148

Palavras-chave:

Estrutura Clínica Médica, Medicina sistêmica, Atendimento de pacientes, Atendimento em clínica médica.

Resumo

Esse estudo se propôs a descrever a maneira como a configuração estrutural de uma clínica médica favorece a efetividade do atendimento junto aos seus clientes (pacientes), ao mesmo tempo em que propicia autonomia necessária aos profissionais do núcleo operacional. Trata-se de um estudo de caso, com abordagem qualitativa, cujas técnicas de investigação utilizadas foram a pesquisa bibliográfica seguida de pesquisa de campo. Concluiu-se que os mecanismos de coordenação estão associados a uma cultura forte acerca dos princípios ligados à medicina sistêmica, em que o ganho da saúde integral do paciente é conquistado por meio do trabalho multidisciplinar.

Biografia do Autor

Inayara Valéria Defreitas Pedroso Gonzalez, Universidade Federal do Espírito Santo

Professora Adjunta do Departamento de Administração da UFES (Universidade Federal do Espírito Santo). Professora do Programa de Pós-graduação em Administração - Mestrado e Doutorado - PPGADM/UFES e Pesquisadora da Linha de Pesquisa - Estratégia, Inovação e Desempenho Organizacional - Núcleo de Estudos em Tecnologias e Processos Organizacionais - TecPrO. Pesquisadora nas áreas de Estratégia e Inovação.

Pamela Rodrigues Moreira, Faculdade Estácio de Sá de Vitória (FESV)

Graduada em Administração pela Faculdade Estácio de Sá de Vitória (FESV)

Edilene Costa Santos, Faculdade Estácio de Sá de Vitória (FESV)

Graduada em Administração pela Faculdade Estácio de Sá de Vitória (FESV)

Referências

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.

COUTO, A. B. G.; GOMES, L. F. A. M. A tomada de decisão em recursos humanos com dados replicados e inconsistentes: uma aplicação da teoria dos conjuntos aproximativos. Pesquisa Operacional, n. 3, v.30, p. 657-686, Setembro/Dezembro, 2010.

CRESWELL, John. Projeto de Pesquisa: métodos qualitativos, quantitativos e mistos. Porto Alegre: Artmed, 2010.

DIAS, A. T.; BERTI, S. D. Processo de Tomada de decisões: Estudo Multicaso Comparativo em Organizações Hospitalares de Belo Horizonte. Revista de Administração Hospitalar e Inovação em Saúde. Vol. 14, n.3. Belo Horizonte, MG. Jul./Set., 2017.

FUSCO, J.P.A; SACOMANO, J.B. Operações e gestão estratégica das operações. São Paulo: Arte e Ciência, 2007.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4.ed. São Paulo: Atlas, 2008.

GUIMARÃES, E. M. P.; ÉVORA, Y. D. M. Sistema de informação: instrumento para tomada de decisão no exercício da gerência. Ciência da Informação. Brasília, n.1, v. 33, p. 72-80, Janeiro/Abril de 2004, ISSN: 1518-8353. Disponível em <http://www.scielo.br> Acesso em 02 de mar. 2016.

GURGEL JR, G. D.; VIEIRA, M. M. F. 2002. Qualidade total e administração hospitalar: explorando disjunções conceituais. Ciência e Saúde Coletiva. São Paulo, n.2, v. 7, p. 325-334, Janeiro/Abril de 2002.

HARDY, C.; CLEGG, S. R. Alguns ousam chamá-lo de poder. In: CALDAS, M.; FACHIN, R.; FISCHER, T. (Orgs.). Handbook de estudos organizacionais: modelos de análise e novas questões em estudos organizacionais. São Paulo: Atlas, 2001, v. 2, p. 260-289.

ICLINIC. O software médico que organiza e agiliza sua clínica. 2015. Disponível em < https://iclinic.com.br/quem-somos/>. Acesso em 03 de Março, 2018.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. A. Metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2003.

MALIK, A. M.; TELES, J. P.. Hospitais e Programas de qualidade no estado de São Paulo. RAE – Revista de Administração de Empresas. Jul./Set., 2001.

MARTINS, C. V.; ANDRADE, C. A.; FERNANDES, L. T.; COSTA, L. dos S. Proposta de Reestruturação organizacional do SESC/RN. ISSN 2237-4558. Navus. Florianópolis. SC. V.8. n. 3. P. 53-65. – jul./set., 2018.

MARCONI, M. A. Técnicas de pesquisa: planejamento e execução de pesquisas, amostragens e técnicas de pesquisa, elaboração, análise e interpretação de dados. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

MINTZBERG, H. Criando organizações eficazes: estruturas em cinco configurações. 2. Ed.. São Paulo: Atlas, 1995.

MINTZBERG, H. Criando organizações eficazes: estruturas em cinco configurações. 2. Ed.. São Paulo: Atlas, 2015.

MOREIRA, E. T. STRAMAR, A.R. Modelo Holístico da Gestão da Inovação com ênfase na cooperação, flexibilidade e adaptação. Revista de Administração e Inovação, São Paulo, v. 11, n. 4, p. 193- 212, out./dez.,2014,

PERROTTI, E. Estrutura organizacional e Gestão do Conhecimento, Dissertação de Mestrado. Departamento de Administração da Escola de Administração, Economia e Contabilidade da Universidade de São Paulo, 2004.

PICCHIAI, D.; NERY, A. R. L. Estratégias, estrutura, competências organizacionais e o desempenho financeiro: estudo de caso de dois hospitais. JBES, São Paulo, p. 17-27, 18 mar., 2015. Disponível em Acesso em 18 de maio 2016.

ROBBINS, S. P; JUDGE, T. A; SOBRAL. F. Comportamento organizacional: teoria e prática no contexto brasileiro.14 ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2010.

TORTADO U.; DEL CORSO J. Mudança na configuração estrutural em aquisição de empresa nacional por multinacional. RAU, Universidade Metodista de Piracicaba, São Paulo, n.2, v. 6, p. 66-86, Maio/Agosto de 2008, ISSN: 1679-5350 Disponível em<http://www.redalyc.org> Acesso em 28 de mar. 2016.

VASCONCELOS, E.; HEMSLEY, J. Estrutura das Organizações: estruturas tradicionais, estruturas para a inovação, estrutura matricial. 3ªed. São Paulo, 2011.

VASCONCELOS, E.; HEMSLEY, J. Estrutura das Organizações: estruturas tradicionais, estruturas para a inovação, estrutura matricial. 4. ed. São Paulo: Pioneira Thomson, 2002.

VERGARA, S. C. Projetos e relatórios de pesquisa em administração. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2004.

VASCONCELOS, E.; HEMSLEY, J. Projetos e relatórios de pesquisa em administração. 13. ed. SãoPaulo: Atlas, 2011.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 5. ed. Porto Alegre: Bookman, 2015.

Downloads

Publicado

2020-02-22

Edição

Seção

Artigos Científicos