PROCESSO DE INCUBAÇÃO COMO ESTIMULADOR DE INOVAÇÃO: UM ESTUDO COM EM-PRESAS INCUBADAS DE BASE TECNOLÓGICA

Autores

  • Italo Fernando Minello Universidade Federal de Santa Maria
  • Estêvão da Silva Marinho Universidade Federal de Santa Maria
  • Rafaela Escobar Bürger Universidade Federal de Santa Maria

DOI:

https://doi.org/10.19177/reen.v10e320173-26

Palavras-chave:

Incubadora Tecnológica, Inovação, Comportamento Empreendedor, Incubados, Característi-cas Empreendedoras

Resumo

O presente trabalho teve como objetivo analisar o processo de incubação enquanto estimulador de inovação em empresas incubadas, na percepção de gestores que vivenciam este processo na ITSM.  Para isto foram entrevistados oito gestores de negócios incubados. Os questionamentos abordaram a percepção dos gestores acerca do processo de incubação e seu papel enquanto estimulador de inovação. Para a análise utilizou-se a técnica de análise de conteúdo Bardin (2011). A partir da perspectiva dos incubados, a ITSM proporcionou oportunidades de desenvolvimento para os indivíduos, bem como para seus negócios, estimulando ações suas inovadoras por meio de um caráter experiencial.

Biografia do Autor

Italo Fernando Minello, Universidade Federal de Santa Maria

Departamento de Ciências Administrativas

Programa de pós-graduação em Administração UFSM

Estêvão da Silva Marinho, Universidade Federal de Santa Maria

Departamento de Ciências Administrativas

Programa de pós-graduação em Administração UFSM

Rafaela Escobar Bürger, Universidade Federal de Santa Maria

Departamento de Ciências Administrativas

Programa de pós-graduação em Administração UFSM

Referências

ANDERSON, N. R.; POTOČNIK, K.; BLEDOW, R.; HULSHEGER, U. R.; ROSING, K. Innovation and creativity in organizations. In D. Ones, N. Anderson, C. Viswesvaran, & H. K. Sinangil (Eds.), Handbook of industrial, work and organizational psychology (2nd ed.). London: Sage, 2016.

ANPROTEC. Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos de Tecnologias Avançadas. Disponível em: http://anprotec. org.br/site/, acesso em 21 de outubro de 2016.

BARASA, L.; KNOBEN, J.; VERMEULEN, P.; KIMUYU, P.; KINYANJUI, B. Institutions, resources and innovation in East Africa: A firm level approach. Research Policy, 46(1), 280-291, 2017.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: 70 Ed. 2011.

BORGES E SILVA, G. A.; LINARES, I. M. P.; PASSADOR, J. L. Orientação para o mer-cado em ambientes usuais de empreendimento versus ambientes de inovação por incu-badoras. RACEF, Revista de Administração, Contabilidade e Economia da Fundace. v. 7, n. 1, Ed. Esp. Ecossistemas de Inovação e Empreendedorismo, 2016.

BLOCK, J. H.; FISCH, C. O.; VAN PRAAG, M. The Schumpeterian entrepreneur: a re-view of the empirical evidence on the antecedents, behaviour and consequences of inno-vative entrepreneurship. Industry and Innovation, 1-35, 2016.

CARLAND, J. W.; HOY, F.; BOULTON, W. R.; CARLAND, J. A. Differentiating entrepreneurs from small business owners. The Academy of Management Review. v. 9, p. 2, 1984.

CARREIRA, S. S.; FRANZONI, A. B.; ESPER, A. J. F.; PACHECO, D. C.; GRAMKOW, F. B.; CARREIRA, M. F. Empreendedorismo feminino: um estudo fenomenológico. Navus, Revista de Gestão e Tecnologia. Florianópolis, SC, v. 5, n. 2, 2015.

CASTRO JÚNIOR, D. F. L.; SILVEIRA-MARTINS, E.; MIURA, M. N.; SILVA, M. P. P. O processo de formulação de estratégias e os recursos intangíveis da empresa: reflexões teóricas sobre esta relação. Revista Capital Científico – Eletrônica (RCCe), ISSN 2177-4153, v. 13, n.1, jan./mar. 2015.

CASSOL, A.; CINTRA, R. F.; RUAS, R. L.; OLDONI, L. E. Desenvolvimento da capaci-dade absortiva em empresas incubadas e graduadas de Santa Catarina, Brasil. Desen-volvimento em Questão, Editora Unijuí, ano 14, n. 37, 2016.

CARVALHO, F. C. A. Gestão do conhecimento: o caso de uma empresa de alta tecnolo-gia. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção) - Programa de Pós- Graduação em Engenharia de Produção – UFSC, Santa Catarina, 2001.

DAMIÃO, D. Metodologia para controle da agregação tecnológica durante o processo de incubação. A experiência da incubadora tecnológica Agende Guarulhos. Revista de Administração e Inovação, São Paulo, v. 12, n. 1, p. 227-247, 2015.

DORNELAS J. C. A. Planejando Incubadoras de Empresas: Como desenvolver um plano de negócios para incubadoras. Rio de Janeiro, Campus, 2002.

ENGELMAN, R.; FRACASSO, E. M. Contribuição das incubadoras tecnológicas na internacionalização das empresas incubadas. R. Adm., São Paulo, v. 48, n. 1, p. 165-178, jan./fev./mar. 2013.

FILARDI, F.; BARROS, F. D.; FISCHMANN, A. A. Do Homo Empreendedor ao Empreendedor Contemporâneo: Evolução das Características Empreendedoras de 1848 a 2014. Revista Ibero-Americana de Estratégia - RIAE. v. 13, n. 3, 2014.

FONSECA, S. A. Incubadoras como vetores para a promoção de tecnologias limpas em empreendimentos de pequeno porte: possibilidades e limites. RAM, Revista de Administração Mackenzie, São Paulo, SP. ISSN 1518-6776 (impresso), ISSN 1678-6971 (on-line), v. 16, n. 1, p. 188-212, jan./fev. 2015.

GOMES, A. F.; LIMA, J. B.; CAPPELLE, M. C. A. Do empreendedorismo à noção de ações empreendedoras: reflexões teóricas. Revista Alcance - Eletrônica, v. 20, n. 2, p. 203-220, abr./jun. 2013.

GOMES, M. S.; GONÇALO, C. R.; PEREIRA, C. D.; VARGAS, S. L. A inovação como conexão para o desenvolvimento de parcerias entre universidade- empresa. Navus - Revista de Gestão e Tecnologia. Florianópolis, SC, v. 4, n. 2, p. 78-91, jul./dez. 2014.

KOCK, A.; GEMÜNDEN, G. H. Antecedents to Decision‐Making Quality and Agility in Innovation Portfolio Management. Journal of Product Innovation Management, 33(6), 670-686, 2016.

LEIVA, J. C.; ALEGRE, J.; MONGE, R. The influence of Entrepreneurial learning in new Firms’ performance: a study in Costa Rica. Rev. inovar. v. 24, edición especial, 2014.

LOPES, A. P. V. B. V.; KISSIMOTO, K. O.; SALERNO, M. S.; de CARVALHO, M. M.; LAURINDO, F. J. B. Innovation Management: A Systematic Literature Analysis Of The Innovation Management Evolution. Brazilian Journal of Operations & Production Management, 13(1), 16-30, 2016.

MCCLELLAND, D. C. A sociedade competitiva: realização & progresso social. Rio de Janeiro: Expressão e Cultura, 1972.

MCTI. Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. Disponível em: http://mcti. gov.br/. Acesso em: 21 de abril de 2015.

MEIRELLES, D. S. O conceito de serviço. Revista de Economia Política, São Paulo, v. 26, n. 1, p. 119-136, jan./mar. 2006.

MINELLO, I. F. Resiliência e insucesso empresarial: O comportamento do empreendedor diante do fracasso nos negócios. Curitiba, Appris, 288p. 2014.

PEREIRA, J. A.; DAVID DE SOUZA, M. C.; TATTO, L.; OLIVEIRA, J. S. Estratégia como Prática: um Estudo em Empresas Incubadas de base Tecnológica. RAIMED - Revista de Administração IMED, v. 4, n. 2, p. 161-176, maio/ago. 2014.

QUANDT, C. O.; SILVA, H. F. N.; FERRARESI, A. A.; FREGA, J. R. Programas de gestão de ideias e inovação: as práticas das grandes empresas na região sul do Brasil. Revista de Administração e Inovação, São Paulo, v. 11, n. 3, p. 176-199, jul./set. 2014.

RAUPP, F. M.; BEUREN, I. M. Perfil do suporte oferecido pelas incubadoras brasileiras às empresas incubadas. REAd. Rev. eletrôn. adm. (Porto Alegre) [online]. 2011, vol.17, n.2, pp. 330-359. ISSN 1413-2311.

RIBEIRO, A. L. Teorias da administração. 2. ed. rev. e atual. São Paulo: Saraiva, 2013.

RIBEIRO, A. R. B.; SILVA, F. S.; SANTOS, M. V. N.; BARBOSA, C. F. Fatores que con-tribuem para o sucesso de empresas de base tecnológica: um estudo multicasos em incu-badoras de Pernambuco. Revista Eletrônica de Estratégia e Negócios, Florianópolis, v.9, n.2, 2016.

ROBSON, P.; AKUETTEH, C.;WESTHEAD, P.; WRIGHT, M. Innovative Opportunity Pursuit, Human Capital and Business Ownership Experience in an Emerging Region: Evidence from Ghana. Small Business Economics 39 (3): 603–625, 2012.

SAMPIERI, R. H.; COLLADO, C. F.; LUCIO, P. B. Metodologia da Pesquisa. São Paulo: McGraw-Hill, 2013.

SANTOS, P. M.; MORAES FILHO, R. A. Empreendedorismo na Incubadora da UFR-PE: uma reflexão sobre empresas criadas por iniciativas de alunos e docentes. Revista Organizações em Contexto, v. 10, n. 20, p. 371-406, 2014.

SIQUEIRA, W. R.; PEGHINI, P.; SOUZA, L. D.; OLIVEIRA FILHO, J. B. Atitude empreendedora de proprietários e funcionários intraempreendedores: um estudo comparativo entre visionários e visionistas. Revista de Empreendedorismo e Gestão de Pequenas Empresas, v. 3, n. 1, p. 84-104, 2014.

SOUZA, E. C. L. Empreendedorismo: da gênese à contemporaneidade. in: SOUZA, E. C. L.; GUIMARÃES, T. A. (Org.). Empreendedorismo além do plano de negócios. São Paulo: Atlas, 2005.

STOROPOLI, J. E.; BINDER, M. P.; MACCARI, E. A. Incubadoras de empresas e o desenvolvimento de capacidades em empresas incubadas. RCA, v. 15, n. 35, 2013.

TEIXEIRA, R. M.; FEITOZA, R. A. A. Inovação na Pequena Empresa: Mapeamento da produção científica internacional e nacional no período de 2000 a 2014. Revista da Micro e Pequena Empresa, Campo Limpo Paulista, v.9, n.1, 2015.

TIDD, J.; PAVITT, K.; BESSANT, J. Managing innovation. São Paulo: Bookman, 2008.

XU, L. Business Incubation in China: effectiveness and perceived contributions to tenant enterprises. Management Research Review, Cambridge, v. 33, n. 1, p. 90-99, 2010.

ZAMPIERI, N. L. V. Empreendedorismo de base tecnológica e desenvolvimento regional, caso ITSM. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção), UFSM, 2010.

WOLFFENBÜTTEL, A. P.; FRACASSO; E. M.; BIGNETTI, L. P. The university- firms interaction process in a university incubator: the case of the Vale do Rio dos Sinos university`s incubator. REAd, Edição 37, v. 10, n. 1, 2004.

ZHANG, X.; BARTOL, K. M. Linking empowering leadership and employee creativity: The influence of psychological empowerment, intrinsic motivation, and creative process engagement. Academy of Management Journal 53 (1): 107–28, 2010.

Downloads

Publicado

2018-04-11

Edição

Seção

Artigos Científicos