FATORES INIBIDORES DA INSTITUCIONALIZAÇÃO EM UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO

Autores

  • Douglas Roriz Caliman Faculdade Católica Salesiana do Espírito Santo
  • Adna Matias Caetano Faculdade Católica Salesiana do Espírito Santo
  • Luana Brito Frassi Faculdade Católica Salesiana do Espírito Santo
  • Sandra Mara de Castro Faculdade Católica Salesiana do Espírito Santo

DOI:

https://doi.org/10.19177/reen.v9e3201654-89

Palavras-chave:

Orçamento, Institucionalização, Controle Gerencial.

Resumo

O objetivo da pesquisa foi investigar os fatores que inibem a institucionalização do orçamento como ferramenta de controle gerencial em um hospital universitário em Vitória-ES. Desta forma, a compreensão do problema norteou a opção por um estudo de caso, com abordagem qualitativa e de natureza descritiva, utilizando, como procedimentos técnicos de coleta de dados, a observação não participante, entrevista semiestruturada e análise documental. O levantamento dos dados ocorreu nos meses de março e abril de 2016. Como técnica de análise de dados foi utilizada Análise de Conteúdo de Bardin (1977), desenvolvida nos meses de abril e junho de 2016. A pesquisa teve como referencial teórico principal o estudo de Frezatti, Nascimento, Junqueira e Relvas (2011), onde foram analisadas oito categorias impactantes ao processo orçamentário. Na análise dos dados foi analisado o processo orçamentário nos planos teórico e real. Como conclusão, foram verificados 27 fatores inibidores, tais como: cultura de controle, rigidez e impessoalidade. Foi verificado, também, que o orçamento no hospital ainda não foi institucionalizado como ferramenta de controle gerencial. É apenas um critério cerimonial de valor, que estabiliza e legitima a gestão frente aos órgãos de controle externo.

Biografia do Autor

Douglas Roriz Caliman, Faculdade Católica Salesiana do Espírito Santo

Mestre em Administração

Professor do Departamento de Ciências Contábeis

Faculdade Católica Salesiana do Espírito Santo

Adna Matias Caetano, Faculdade Católica Salesiana do Espírito Santo

Graduanda em Ciências Contábeis

Faculdade Católica Salesiana do Espírito Santo

Luana Brito Frassi, Faculdade Católica Salesiana do Espírito Santo

Graduanda em Ciências Contábeis

Faculdade Católica Salesiana do Espírito Santo

Sandra Mara de Castro, Faculdade Católica Salesiana do Espírito Santo

Graduanda em Ciências Contábeis

Faculdade Católica Salesiana do Espírito Santo

Referências

AGOSTINHO, M. C. E. Administração complexa: Revendo as bases cientificas da administração. Revista de Administração de Empresas - RAE – Eletrônica, v. 2, n. 1, 2003.

ALDRIDGE, J. V. RILEY, G. L. Governing Academic Organizations. Berkeley: IcCutchan Publishing Company, 1977.

ALMEIDA, L. B. MACHADO, E.A. RAIFUR, L.; NOGUEIRA, D.R. A Utilização do Orçamento como Ferramenta de Apoio à Formulação de Estratégia, de Controle e de interatividade: Um Estudo Exploratório nas Cooperativas Agropecuárias da Região Sul do Brasil. Revista Contabilidade Vista & Revista, v. 20, n. 3, 2009.

ANSOFF, H.I. A nova estratégia empresarial. São Paulo: Atlas, 1991.

ARNABOLDI, M. LAPSLEY, I. STECCOLINI, I. Performance Management in the Public Sector: the ultimate challenge. Financial Accountability & Management, 31(1), 245–261, 2015.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. 1ª ed. Lisboa, Portugal: Edições 70, 1977.

BRAGA, R. Fundamentos e técnicas de administração financeira. São Paulo: Atlas, 1995.

BRYER, A. R. Participation in budgeting: A critical anthropological approach. Accounting, Organizations and Society, 39, p. 511–530, 2014.

BUCKLEY, P. J. MICHIE, J. Firms organizations and contracts. New York: Oxford University Press, 1996.

BURNS, J. SCAPENS, R. W. Conceptualizing management accounting change: an institutional framework. Management Accounting Research. Rio de Janeiro: Elsevier. v. 11, p. 3-25, 2000.

CALIMAN, D. R. Fatores que inibem a institucionalização do orçamento como ferramenta de controle gerencial de uma IFES. Dissertação de Mestrado, PPGADM, Universidade Federal do espírito Santo, Vitória/ES, 2014.

CARNEIRO. M,; MATIAS, A. B. Orçamento Empresarial: teoria, prática e novas técnicas. 1.ed. São Paulo: Atlas, 2011.

CASTANHEIRA, D. F. R.; LUPORINI, C.E.; SOUSA, A. F.;ROJO, C.A. O uso do orçamento empresarial como ferramenta de apoio á tomada de decisão e ao controle gerencial: Um estudo comparado em indústrias farmacêuticas de médio porte. Revista de Finanças Aplicadas, pp. 1-20, 2013.

CHEN, Q. Cooperation in the budgeting process. Journal of Accounting Research, v. 41, n. 5, p.775-796, December, 2003.

CHONG, V. K. CHONG, K. M. Budget goal commitment and informational effects of budget participation on performance: a structural equation modeling approach. Behavioral Research in Accounting, v.14, p.65-86, 2002.

COVALESKI, M. A.; EVANS III, J.H.; LUFT, J.L.;SHIELDS, M.D. Budgeting research: three theoretical perspectives and criteria for selective integration. Journal of Management Accounting Research, v.15, 1, p. 3-49, jul./ set., 2003.

DAVILA, A. WOUTERS, M. Managing budget emphasis through the explicit design of conditional budgetary slack. Accouting, Organizations and Society, v.30, n.7-8, p.587-608, out./nov., 2005.

DIMAGGIO, P. J. POWELL, W. W. The iron cage revisited: Institutional isomorphism and collective retionality in organizational fields. American Sociological Review, v. 48, 2, apr., p. 147 – 160, 1983.

DUNK, A. NOURI, H. Antecedents of budgetary slack: a literature review and synthesis. Journal of Accounting Literature, vol.17, p.72-96, 1998.

ESTRADA, A. A. Os fundamentos da teoria da complexidade em Edgar Morin. Akropolis – Revista de ciências humanas da UNIPAR, p. 85-90, abr./jun. 2009.

ETHERINGTON, L. TJOSVOLD, D. Managing budget conflicts: contribution of goal interdependence and interaction. Canadian Journal of Administrative sciences, v.15, n.2, p.142-151, 1998.

ETZIONI, A. Modern Organizations. New Jersey: Prentice-Hal, 1964.

FREZATTI, F. Orçamento Empresarial: planejamento e controle gerencial. 4 ed. São Paulo: Atlas, 2007.

FREZATTI, F Orçamento empresarial: planejamento e controle gerencial. 5 ed. São Paulo: Atlas, 2009.

FREZATTI, F.; GUERREIRO, R.; AGUIAR, A.B.; GOUVEA, M.A. Análise do relacionamento entre a contabilidade gerencial e o processo de planejamento das Organizações Brasileiras. Revista de Administração Contemporânea - RAC. P. 33-54, 2005.

FREZATTI, F.; RELVAS, T.R.S. JUNQUEIRA, E.; NASCIMENTO, A.R.; OYADOMARI, J.C. Críticas ao Orçamento: Problemas com o Artefato ou a Não Utilização de uma Abordagem Abrangente de Análise? ASAA - Advances in Scientific and Applied Accounting, v.3, n.2, 2010.

FREZATTI, F.; NASCIMENTO, A.R.; JUNQUEIRA, E.; RELVAS,T.R.S. Processo orçamentário: uma aplicação da análise substantiva com utilização da Grounded Theory. Revista Organizações e Sociedade - O&S, Salvador, v.18, n.58, p.445-446, jul./set., 2011.

GARRISON, R.; NOREEN, E. Managerial Accounting. McGraw-Hill, 2000.

GERSHENSON, C. HEYLIGHEN, F. How can we think complex? In: Managing organizational complexity: philosophy, theory and application. Editor: RICHARDSON, Kurt. Greenwich: IAP, 2005.

GIL, A. C. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. 6 ed. São Paulo: Atlas, 2009.

GUERREIRO, R.; FREZATTI, F.; LOPES, A.B.; PEREIRA, C.A. O entendimento da contabilidade gerencial sob a ótica da teoria institucional. Revista Organizações e Sociedade - O&S, Salvador, v. 12, n. 35, out. / dez., 2005.

GUERREIRO, R.; PEREIRA, C.A.; REZENDE, A.J.; AGUIAR, A.B. Fatores determinantes do processo de institucionalização de uma mudança na programação orçamentária: uma pesquisa-ação em uma organização brasileira. Revista de contabilidade do mestrado em ciências contábeis da UERJ – v. 10, n. 1, 2005b.

HANSEN, S. C. VAN DER STEDE, W. A. Multiple facets of budgeting: an exploratory analysis. Management Accounting Research, v.15, n.4, p. 415 - 439, dez. 2004.

HANSEN, S.C.; OTLEY, D. T.; VAN DER STEDE, W. A. Practice development

in budgeting: an overview and research perspective, Journal of Management

Accounting Research, v. 15, n.1, p. 95-116, 2003.

HEINZMANN, L. M. LAVARDA, C. E. F. Cultura organizacional e o processo de planejamento e controle orçamentário. Revista de Contabilidade e Organizações - RCO, Ribeirão Preto: SP, v. 5, n. 13, p. 19-19, set./dez., 2011.

HOLLAND, J. H. Hidden Order: How Adaptation Builds Complexity. Oxford: Helix Books, 1996.

HORNGREN, C. T. SUNDEM, G. L. STRATTON, W. O. Contabilidade gerencial. 12 ed. São Paulo: Prentice Hall, 2004.

JUNQUEIRA, E. R. M.; CALIMAN, D.R.; PASCUCI, L.M.; GONZAGA, R.P.; FREZATTI, F. Academia Pratica o Que Ensina? Análise da Institucionalização do Processo Orçamentário em Uma Ifes. XXXIX Encontro da ANPAD, Belo Horizonte, 2015.

LINO, K. M. S. GONÇALVES, M. F, FEITOSA, S. L. Administração hospitalar por competência: O administrador como gestor hospitalar. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Administração) - Escola Superior da Amazônia. Belém, PA, 2008.

LISSACK, M. R. LETICHE, H. Complexity, Emergence, Resilience, and Coherence: gaining perspective on organizations and their study. Emergence, n. 4, v. 3, p. 72 – 94, 2002.

LIVOVSCHI, F. R. Fatores socioculturais facilitadores do processo orçamentário eficaz nas organizações. Dissertação de mestrado (Mestrado em Desenvolvimento Profissional e Gerencial) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo, 2013.

LUFT, J.; SHIELDS, M. Maping management accounting graphics and guidelines. Accouting organization and society, v.28, p.169-249, 2003.

MACHADO-DA-SILVA, C. L. FONSECA, V. S. da. CRUBELLATE, J. M. Estrutura, Agência e Interpretação: elementos para uma abordagem recursiva do processo de institucionalização. Revista de Administração Contemporânea - RAC, v. 14, p. 77 – 107, 2010.

MEYER JUNIOR, V. A escola como organização complexa. In: EYING, A. GHISI, M.L. Políticas e Gestão da Educação Superior. Curitiba: Champagnat, 2007.

MEYER JUNIOR, V. PASCUCCI, L. Estratégia em Contextos Complexos e Pluralísticos. Revista de Administração Contemporânea - RAC, v. 17, n. 5, p. 536 – 555, 2013.

MEYER, J. W. ROWAN, B. Instituionalized organizations: formal structure as myth and ceremony. In: American Journal of Sociology. v.83, n. 2, p. 340-363, 1977.

MINTZBERG, H. Tracking strategies: toward a general theory of strategy formation. New York: Oxford University Press, 2007.

MÓL, A. L. R. ARAÚJO FILHO, G. M. Administração financeira e orçamentária. Brasília: Sistema MEC/UAB, 2008.

MORIN, E. Ciência com consciência. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 8 ed., 2005.

NORTH, D. Towards a theory of institutional change. Quaterly Review of Econimics and Business. [S.1], inverno, 1991.

OYADOMARI, J. C.; MENDONÇA NETO, O.R.; CARDOSO, R.L.; LIMA, M.P. Fatores que influenciam a adoção de artefatos de controle gerencial nas empresas brasileiras: um estudo exploratório sob ótica da teoria institucional. Revista de Contabilidade e Organizações – FEARP/USP, v. 2, n. 2, p. 55 – 70, jan./abr. 2008.

PADOVEZE, C. L. Contabilidade Gerencial: um enfoque em sistema de informação contábil. 7 ed. – São Paulo : Atlas, 2010.

PADOVEZE, C. L. TARANTO, F. C. Orçamento empresarial: novos conceitos e técnicas. São Paulo: Pearson Education do Brasil, 2009.

PASCUCCI, L. MEYER JUNIOR, V. Formação de estratégias em sistemas complexos: Estudo comparativo de organizações hospitalares sob a perspectiva pratica. XXXV Encontro da ANPAD, 4 a 7 de set., Rio de Janeiro, RJ, 2011.

PASSOLONGO, C. ICHIKAWA, E. Y. REIS, L. G. dos. Contribuição da teoria institucional para os estudos organizacionais: o caso da universidade estadual de londrina. Revista Negócios, Blumenau, v. 9, n. 1, p. 19 – 26, 2004.

PATTIO, M. L. P. O impacto do sistema ABC no controle organizacional da Casa de Saúde Santa Maria. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção) - Universidade Federal de Santa Catarina, Santa Catarina, 2001.

PICCHIAI, D. Mudanças em Instituições Hospitalares: Análise do Processo e Estudo da Ação do Administrador Hospitalar. Relatório de Pesquisa apresentado ao NPP – Núcleo de Pesquisas e Publicações – EAESP-FGV. São Paulo, 1998.

REIS, C.Z.T. OLIVEIRA, A. R. SILVEIRA, S. F. R. CUNHA, N. R. S. Variáveis discriminantes do Nível de Institucionalização do Modelo Orçamentário nas Universidades Federais. Revista de Ciências da Administração, v.16, n. 39, p.83-100, ago. 2014.

RICHARDSON, R. J. Pesquisa Social: Métodos e Técnicas. 3 ed. São Paulo: Atlas,

SANVICENTE, A. Z; SANTOS, C. C. Orçamento na administração de empresas: planejamento e controle. 2 ed. São Paulo: Atlas, 1983.

SARKIS, C. D. Características do processo orçamentário nas Cooperativas de Crédito do Estado de Minas Gerais. Dissertação (Mestrado em Ciências Contábeis) - Programa de Pós-Graduação em Contabilidade e Controladoria da Universidade Federal de Minas Gerais. Minas Gerais, 2013.

SHIELDS, J.; SHIELDS, M. Antecedents of participative budgeting. Accounting, Organizations and Society, v. 23, n. 1, p. 49-76, jan. 1998.

SOUZA, A. A.; BRAGANÇA, C.G.; BRAGA, A.S.; SOARES, L.A.C.F. Análise da avaliação de desempenho por meio do orçamento em um hospital filantrópico: Estudo de Caso. In: XI Congresso Nacional de excelência em gestão. 2015. Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro, 2015.

SOUZA, A. A.; GUERRA, M.; LARA, C.O.; GOMIDE, P.L.R.; PEREIRA, C.M.; FREITAS, D.A. Controle de gestão em organizações hospitalares. Revista de Gestão. USP, São Paulo, v.16, n.3, p-15-29, 2009.

SOUZA, A. A.; OLIVEIRA, L.F.; SOUZA, A.D.; XAVIER, D.O.; XAVIER, A.G. Custeio Baseado em Atividades em Hospitais: Modelagem das Atividades do Setor de Engenharia Clínica. In: XIX Congresso Brasileiro de Custos – Bento Gonçalves, RS, Brasil, 12 a 14 de novembro de 2012. Anais... Rio Grande do Sul, 2012a.

SOUZA, A. A.; MOREIRA, D.R.; SILVA, E.A.; PEREIRA, A.C.C. Avaliação de sistemas de informações de hospitais com base na análise fatorial: uma pesquisa survey em hospitais da região metropolitana de belo horizonte. Revista de Gestão em Sistemas de Saúde - RGSS, São Paulo, v. 1, n. 2, p. 04-40, jul./dez. 2012b.

TOLBERT, P. S. ZUCKER, L. G. A institucionalização da Teoria institucional. In: CLEGG, S. R. HARDY, C. NORD, W. R. CALDAS (Org), M. FACHIN, R. FICHER, T. Handbook de estudos organizacionais: modelos e novas questões em estudos organizacionais, v. 1, p. 196 – 219. São Paulo: Atlas, 1999.

TOLBERT, P. S. ZUCKER, L. G. A Institucionalização da Teoria Institucional. In: CLEGG, S. R. HARDY, C. NORD, W. R. CALDAS (Org.), M. FACHIN, R. FICHER, T. Handbook de estudos organizacionais: modelos e novas questões em estudos organizacionais, v. 1. São Paulo: Atlas, 2006.

TORRES, J. J. M. Teoria da complexidade: uma nova visão de mundo par a estratégia. I Encontro Brasileiro de Estudos da Complexidade – I EBEC. Curitiba – 11 a 13 de jul., 2005.

VANDERBECK, E. J. NAGY, C. F. Contabilidade de Custos. 11 ed. São Paulo: Editora Pioneira – Thomson Learning, 2001.

WEICK, K. E. Educational Organizations as Loosely Coupled System. Administrative Science Quarterly, v. 1, n. 21, p. 1 – 19, 1976.

WELSC, G. A. Orçamento Empresarial. 4.ed. São Paulo: Atlas, 1983.

YIN, R. K. Case Study Research - design and methods. Sage Publications Inc., USA, 1989.

YUEN, D. C. Y. Goal characteristics, communication and reward systems, and managerial propensity to create budgetary slack. Managerial Auditing Journal. Edição especial, v. 19, n. 4, p. 517-532, 2004.

ZAN, A. Mudanças na contabilidade gerencial de uma organização: Estudo de caso com diagnóstico institucional. São Paulo, SP, 2006.

Downloads

Publicado

2016-12-30

Edição

Seção

Artigos Científicos