Estratégia e competitividade: um estudo multicaso da educação superior privada brasileira

Autores

  • Ricardo Viana Carvalho de Paiva Centro Universitário UNA, Brasil
  • Danilo de Melo Costa Universidade Federal de Minas Gerais
  • Francisco Vidal Barbosa Universidade Federal de Minas Gerais
  • Mário Teixeira Reis Neto Universidade FUMEC

DOI:

https://doi.org/10.19177/reen.v7e3201430-62

Palavras-chave:

Competitividade, Estratégia, Capacitações, Educação Superior Privada.

Resumo

O presente trabalho propõe-se a realizar um estudo multicaso da avaliação das capacidades e recursos estratégicos de sete instituições privadas de ensino superior no Brasil. Para tanto, foi realizado um estudo exploratório, de caráter qualitativo, por meio de coleta documental de dados, bibliográfica e entrevista com gestores de sete instituições de ensino superior privadas, nacionalmente reconhecidas. Os resultados demonstraram que há uma tendência da formação e crescimento de grandes grupos educacionais, mas estes grupos também enfrentam vários desafios, possuindo desvantagens competitivas que devem ser observadas, sinalizando a necessidade de inovação no setor. Os dados coletados e tratados das entrevistas evidenciaram que a escolha das estratégias corretas representa um importante divisor de águas para se garantir o sucesso em um cenário cada vez mais exigente e competitivo, listando uma série de características que podem ajudar na construção de um olhar difuso da educação superior privada no Brasil.

 

Biografia do Autor

Ricardo Viana Carvalho de Paiva, Centro Universitário UNA, Brasil

Doutor em Administração pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG, Brasil).

Professor do Programa de Mestrado Profissional em Administração – Centro Universitário UNA, Brasil.

Danilo de Melo Costa, Universidade Federal de Minas Gerais

Doutorando em Administração pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG, Brasil) com doutorado sanduíche pela York University (YorkU, Canadá).

Doutorando pelo Centro de Pós-Graduação e Pesquisas em Administração (CEPEAD) - Universidade Federal de Minas Gerais (CEPEAD/UFMG).

Francisco Vidal Barbosa, Universidade Federal de Minas Gerais

Doutor em Competitividade Empresarial pela Aston University, Inglaterra

Professor Associado da Universidade Federal de Minas Gerais, Brasil

Mário Teixeira Reis Neto, Universidade FUMEC

Doutor em Administração pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG, Brasil).

Professor do Programa de Mestrado e Doutorado em Administração da Universidade FUMEC.

Referências

AMIT, R.; SCHOEMAKER, P. J. H. Strategic assets and organizational rent. Strategic Management Journal, 14, n. 1, p. 33-45, 1993.

BAIN, J. S. Barriers to new competition. Cambridge, MA: Harvard, 1956.

BAIN, J. S. Industrial Organization. New York: John Wiley, 1959.

BARDIN, Laurence. Análise de Conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2009.

BARNEY, J. B. Firm resources and sustained competitive advantage. Journal of Management, v. 17, p. 99-120. 1991.

BARNEY, J. B. Loocking inside for competitive advantage. The Academy of Management Executive, Ada, v. 9, n.4, p. 49-61, nov. 1995.

BARNEY, J. B.; HESTERLY, W.S. Administração estratégica e vantagem competitiva. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2007.

DIERICKX, I., COOL, K. Asset Stock Accumulation and Sustainability of Competitive Advantage. Management Science, v. 35, n. 12, p. 1504-1511, dec. 1989.

GERMANO, J. W, Estado Militar e Educação no Brasil (1964-1985). São Paulo: Cortez Ed. Unicamp, 1993.

GEROSKI, P.A. Game Theory with Applications to Economics. International Journal of Industrial Organization, 6, n. 2, p. 155-281, 1988.

HAYES, R.H.; WHELLWRIGHT ,S.C.; and CLARK, K. Dynamic manufacturing: creating the learning organization. New York: The Free Press, 1988.

HOPER. Análise Setorial do Ensino Superior Privado-Brasil. Foz do Iguaçu, 2009.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA. Dados finais do Censo da Educação Superior 2011. Brasília: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, 2012.

IWASSO, S.; CAFARDO, R. Procura diminui e particulares têm de enfrentar mudanças. O Estado de São Paulo, 17 out. 2005, p. A14.

IWASSO, S.; CAFARDO, R. Instituições buscam melhor gestão. O Estado de São Paulo, 15mar. 2007, p. A12.

LEARNED, E.; CHRISTENSEN, C.; ANDREWS, K.; GUTH, W. Bussiness policy: text and cases. Homewood, IL: R. Irwin, 1969.

MALHOTRA, N. Pesquisa de Marketing: uma orientação aplicada. Porto Alegre: Bookman, 2006.

MASON, E. S. Price and production policies of large scale enterprises. American Economic Review, v. 29, p. 61-74, 1939.

MASON, E. S. The current State of the Monopoly Problem in the U.S. Harvard Law Review, June, 1949.

MEYER JUNIOR, V. Planejamento Estratégico: Ato Racional, Político ou Simbólico: Um Estudo das Universidades Brasileira. In: ENCONTRO ANUAL DA ANPAD, 28., 2004, Curitiba, Anais… Curitiba: ANPAD, 2004.

NELSON, R.R.; WINTER, S. G. An Evolutionary theory of economic change. Cambridge, MA: Harvard University Press, 1982.

PENROSE, E. T. The Theory of the Growth of the Firm. London: Basil Blackwell, 1959.

PENROSE, E. T. Teoria del crescimento de la empresa. Madrid: Aguilar, 1962.

PORTER, Michael E. Competitive Strategy. New York: Free Press, 1980.

PORTER, Michael E. Estratégia competitiva: técnicas para análise da indústria e da concorrência. Rio de Janeiro: Elsevier, 1986.

RUMELT, R.P. Towards a Strategic Theory of the Firm. Competitive strategic management. Englewood Cliffs, NJ: Prentice Hall, 1984.

SCHELLING, T.C. Strategy of conflict. Cambridge, MA: Harvard University Press, 1960.

SCHERER, F.M. Industrial market structure and economic performance. Boston: Houghton Mifflin, 1980.

SCHUMPETER, J. A. Capitalism, socialism and democracy. New York: Harper, 1942.

SHAPIRO, C. The theory of Business Strategy. Rand Journal of Economics, Spring, 1989.

TEECE, D. J. Economics of Scope and the Scope of an Enterprise. Journal of Economic Behavior an Organization, v. 1, p.223-247, 1980

TEECE, D. J. Towards an Economic Theory of the Mutiproduct Firm. Journal of Economic Behavior an Organization, v. 3, p. 39-63, 1982.

TEECE, D.J. Economic Analysis and Strategic Management. California Management Review, 26, n. 3, p. 87-110, spring, 1984.

TEECE, D.J. Technological Change and the Nature of the Firm. In G. Dosi et al.(Eds.), Technical Change and Economic Theory, 1988.

TEECE, D.J., PISANO, G., SHUEN, A. Firm capabilities, resources, and the concept of Strategy: Four Paradigms of Strategic Management. University of California at Berkeley: Free Press, 1990.

TEECE, D. J., PISANO, G., SHUEN, A. Dynamic capabilities and strategic management. Strategic Management Journal, vol. 18:7, p. 509-533, 1997.

YIN, R.K. Estudo de caso: planejamento e métodos. Porto Alegre: Bookman, 2005.

WERNEFELT, B. A Resource-Based View of the Firm. Strategic Management Journal, v. 5, p. 171-180, 1984.

WERNEFELT, B., MONTGOMERY, C. Tobin´s Q and the Importance of Focus in Firma Performance. American Economic Review, v. 78, n. 1, p. 246-250, 1988.

WILLIAMSON, O. E. Markets and Hierarchies. New York: Free Press, 1975.

WILLIAMSON, O. E. The Economic Institutions of Capitalism. New York: Free Press, 1985.

Downloads

Publicado

2014-12-30

Edição

Seção

Artigos Científicos