Confiança versus controle: análise da governança do fundo garantidor para investimentos

Autores

  • Luciano Quinto Lanz IAG/Escola de Negócios da PUC-Rio
  • Patricia Amelia Tomei IAG/Escola de Negócios da PUC-Rio

DOI:

https://doi.org/10.19177/reen.v7e12014p.105-136

Palavras-chave:

Confiança, Controle, Governança, Alianças, Esquemas de Garantia.

Resumo

Este artigo analisa a mudança nos mecanismos de controle e de construção de confiança na governança relacional do Fundo Garantidor para Investimentos (FGI), um fundo de aval administrado pelo Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e social (BNDES). O Fundo presta garantias complementares para que Micro, Pequenas e Médias Empresas (MPMEs) tenham acesso ao crédito e depende da adesão de agentes financeiros para operar. Para esta análise foram utilizados modelos de confiança e controle em relações interorganizacionais e de sistemas de garantia complementar. A metodologia utilizada foi o estudo de caso único conduzido junto ao administrador do fundo, com análise documental e entrevistas semiestruturadas. Os resultados da análise indicaram que, para ampliar suas operações, o fundo precisou migrar de uma estrutura de governança com perspectiva estrutural, baseada em controles, usada na experiência anterior, o FGPC, para uma estrutura relacional que gerasse confiança dos agentes financeiros.

Biografia do Autor

Luciano Quinto Lanz, IAG/Escola de Negócios da PUC-Rio

Possui graduação em Administração de Empresas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1994), MBA Executivo em finanças pelo IBMEC-RJ (1997), pós-graduação em Docência do Ensino superior pela UCAM-RJ (2001), mestrado em Administração de Empresas pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (2004), cursa doutorado em Administração de Empresas pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro.É gerente no Departamento de Políticas e Gestão de Instrumentos de Garantia da Área de Crédito do BNDES.

Patricia Amelia Tomei, IAG/Escola de Negócios da PUC-Rio

Possui graduação em Administração Pública pela Fundação Getúlio Vargas - RJ (1978), mestrado em Administração de Empresas pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1981), doutorado em doutorado sandwich - New School for Social Research (1986) e doutorado em Administração pela Universidade de São Paulo (1988). É professora associada da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro/IAG desde 1979. Foi pesquisadora e professora visitante no exterior da Université Jean Moulin de Lyon (1995),da Ecole des Hautes Etudes Commerciales (HEC) de Montreal (1993), École Superieure des Affaires da Université de Sciences Sociales de Grenoble (1996,1992,1990); da Rissho University de Tóquio (1988), da Florida International University (1994) e da Graduate School of Urban Professions, Department of Management and Human Resources da New School for Social Research (1989). Tem experiência na área de Administração, com ênfase em Administração de Empresas, atuando principalmente nos seguintes temas: cultura organizacional, mudança organizacional, recursos humanos, desempenho organizacional. Publicou vários artigos no Brasil e no exterior e os seguintes livros: Cultura Organizacional e Privatização: A Dimensão Humana, com Marcelo L. Braunstein (Makron Books,1993), Inveja nas Organizações , (Makron Books, 1994) , Invidia en las Empresas (McGraw Hill México, 1994), Gestão Participativa (CDRom - CELTEC,1995), Sedução dos Modismos com Adriana Lerner (Makron Books, 1998; Cultura e Mudança Organizacional; (organização, Editora PUC-Rio,2008);Cultura Empreendedora; com Giuseppe Russo e Carla Bottino (Office Book,2008).

Referências

ANDRADE, C. H. M.; REZENDE, S. F. L.; SALVATO, M. A.; BERNARDES, P. A Relação entre Confiança e custos de transação em Relacionamentos Interorganizacionais. Revista de Administração Contemporânea, v. 15, n. 4, jul./ago., 2011.

BARNEY, J. B. Organizational culture: Can it be a source of sustained competitive advantage? Academy of Management Review, v. 11, p. 656-665. 1986.

BECERRA, M.; GUPTA, A. K. Perceived Trustworthiness within the Organization: The Moderating Impact of Communication Frequency on Trustor and Trustee Effects. Organization Science, v. 14, n. 1, jan./fev., 2003, p. 32-44.

BNDES, FGI- Fundo Garantidor para Investimentos. Rio de Janeiro. 2013. Disponível em <http://www.bndes.gov.br/SiteBNDES/bndes/bndes_pt/Institucional/Apoio_Financeiro/Programas_e_Fundos/FGI/index.html>. Acesso em: 03 jul. 2013.

BNDES, FGPC – Fundo de Aval. Rio de Janeiro. 2012. Disponível em <http://www.bndes.gov.br/SiteBNDES/bndes/bndes_pt/Institucional/Instituicao_Financeira_Credenciada/FGPC/index.html>. Acesso em: 10 jun. 2013.

BOEHS, C. G. E.; SEGATTO-MENDES, A. P. Identificação de Mecanismo de Controle em alianças Estratégicas para Desenvolvimento Tecnológico: um Estudo Múltiplo de Casos no Setor Metal-mecânico ao longo das Fases de Relacionamento. Revista de Administração Contemporânea, v. 11, n3, jul./set. 2007.

BPIFRANCE. Banque Publique d'Investissement. Disponível em <http://www.fogape.cl>. Acesso em: 15 jul. 2013.

COSO, Committee of Sponsoring Organizations of the Treadway Commission. Enterprise Risk Management — Integrated Framework. Set-2004. Disponível em <http://www.coso.org/ Publications/ERM/COSO_ERM_Executive Summary.pdf > Acesso em: 17 mai. 2009.

CARSON, S. J.; MADHOK, A.; VARMAN, R.; JOHN, G.. Information Processing Moderators of the Effectiveness of Trust-Based Governance in Interfirm R&D Colaboration. Organization Science, v. 14, n. 1, p. 45-56, jan./ fev. 2003.

CHIEZA, R. A.; AMBROS, J. O. A importância do Crédito na visão Schumpeteriana e a experiência gaúcha na busca de alternativas à ampliação do acesso ao crédito para empresas de menor porte. III Encontro de Economia Gaúcha. Porto Alegre. 2006. Disponível em <http://www.fee.tche.br/3eeg/Artigos/m09t03.pdf>. Acesso em: 12 jan. 2011.

CLARK, M. C.; PAYNE R. L. The Nature and Structure of Workers' Trust in Management. Source. Journal of Organizational Behavior, v. 18, n. 3, mai., p. 205-224. 1997.

DAS, T. K.; TENG, B. S. Trust, Control and Risk in Strategic Alliances: An Integrated Framework. Organization Studies, v. 22, n. 2, p. 251-83, 2001.

DAVIS, J. H.; SHOORMAN, F. D.; MAYER, R. C.; TAN, H. H. The Trusted General Manager and Business Unit Performance: Empirical Evidence of a Competitive Advantage. Strategic Management Journal, v. 21, n. 5, Mai., p. 563-576. 2000.

DIRKS, K. T.; FERRIN, D. L. The Role of Trust in Organizational Settings. Organization Science, Vol. 12, n. 4 (Jul. - Aug.), p. 450-467. 2001.

DYER, J. H.; CHU, W. The Role of Trustworthiness in Reducing Transaction Costs and Improving Performance empirical Evidence form United States, Japan and Korea. Organization Science, v. 14, n. 1 jan. /fev., 2003, p.57-68.

EISENHARDT, K. M. Control: Organizational and Economic Approaches. Management Science, v. 31, p. 134–49. 1985.

FAEMS, D.; JANSSENS, M.; MADHOK, A.; VAN LOOY, B. Toward an Integrative Perspective on Alliance governance: Connecting Contract Design, Trust Dynamics, and Contract Application. Academy of Management Journal, Vol. 51, n. 6, 1053–1078. 2008.

FNG. Disponível em: <http://www.fng.gov.co>. Acesso em: 15 jul. 2013.

FOGAPE. Disponível em <http://www.fogape.cl>. Acesso em: 15 jul. 2013.

FOGAPYME, Disponível em <http://www.presidencia.gob.ar/sitios-de-gobierno/planes-de-gobierno/2685> Acesso em 15 jul. 2013.

FORO IBEROAMERICANO DE SISTEMAS DE GARANTIA, Documentos do XV Foro IberoAmericano de Sistemas de Garantia. México. 2010. Disponível em Acesso em: 15 dez. 2010.

GULATI, R.; SYTCH, M. Dependence Asymmetry and Joint Dependence in Interorganizational Relationships: Effects of Embeddedness on a Manufacturer’s Performance in Procurement Relationships, Administrative Science Quarterly, v. 52, mar. 2007.

HONOHAN, P. Partial credit guarantees: Principles and practice. Journal of Financial Stability. v. 6. 2010. p. 1-9.

INKPEN, A. C.; CURRAL, S. C. The Coevolution of Trust, Control and Learning in Joint Ventures. Organization Science, v. 15, n. 51 set./out., 2004, p.586-599.

KRISHNAN, R.; MARTIN, X.; NOORDERHAVEN, N. G. When trust matter to alliance performance. Academy of Management Journal, v. 49, n. 5, 2006.

LIMA, F. C. Crédito, Financiamento e Bancos de Desenvolvimento. BNDES. 2009.

LOPES, S. et al. Fundos de garantia e acesso ao crédito das micro, pequenas e médias empresas. A experiência do FGPC: sucesso ou fracasso? BNDES Setorial, Rio de Janeiro, n. 26, p. 4-23, set. 2007.

MALHOTRA, D.; MURNIGHAN, J. K. The Effects of Contracts on Interpersonal Trust. Administrative Science Quarterly, Vol. 47, set. 2002.

MILGROM, P.; ROBERTS, J. Economics, organization and Management. Prentice Hall, Englewood Cliffs, NJ. 1992.

NAFIN, Disponível em <http://www.nafin.com> Acesso em 15 jul. 2013.

OECD. Organization For Economic Co-Operation And Development. Facilitating access to Finance: Discussion Paper on Credit Guarantee Schemes. 2010. Acesso: em 12 mar. 2012.

OUCHI, W. G. A Conceptual Framework for the Design of Organizational Control Mechanisms, Management Science, v.25, p. 833–848, 1979.

PEYREFITTE, A. A sociedade da confiança: ensaio sobre as origens e a natureza do desenvolvimento. Rio de Janeiro. Topbooks editora. 1999.

PINTO, M. A. C.; DE PAULA, P. B.; SALLES, A. B. T. A Revitalização do Sistema Público de Fomento como Canal para Acesso Financeiro por MPME. Revista do BNDES, Rio de Janeiro, V. 14, n. 27, p. 141-162, jun. 2007.

POMBO, P. G. Aportes Conceptuales y características para una clasificación internacional de los sistemas/esquemas de garantía. Tese de Doutorado. Universidade de Córdoba. 2006.

POMBO, P. G.; HERRERO, A. Los sistemas de garantia para micro y la pyme em uma economia globalizada. DP Editorial. Sevilla. 2003.

POPPO, L.; ZENGER, T. 2002. Do formal contracts and relational governance function as substitutes or complements? Strategic Management Journal, 23: 707–725, 2002.

POPPO, L.; ZHOU, K. Z.; RYU, S. Alternative Origins to Interorganizational Trust: An Interdependence Perspective on the Shadow of the Past and the Shadow of the Future. Organization Science, Vol. 19, n. 1, jan. - fev. 2008, p. 39-55.

PURANAM, P.; VANNESTE, B. S. Trust and Governance: untangling a tangled web. Academy of Management Review, v. 34, n. 1, 2009.

ROBBINS, S. Fundamentos do Comportamento Organizacional, São Paulo: Ed. 2004.

SCHOORMAN, D. F.; MAYER, R. C.; DAVIS, J. H.; An Integrative Model of Organization Trust: Past, Present and Future. Academy of Management Review, v. 32, n. 2, 2007.

SCOTT, D. The causal relationship between trust and the assessed value of management by objectives. Journal of Management, v.6, p. 157-175. 1980.

SEBRAE. Serviço Brasileiro de Apoio à Micro e Pequena Empresa. Taxa de Sobrevivência das Empresas no Brasil. Coleção Estudos e Pesquisas. Brasília: Sebrae, outubro 2011.

SEBRAE; DIEESE. Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos; Anuário do trabalho na micro e pequena empresa: 2012. 5 ed. Brasília; Sebrae; 2012.

SEBRAE; FUBRA. Fundação Universitária de Brasília. Fatores condicionantes e taxa de mortalidade de empresas no Brasil. Brasília: Sebrae e Fubra, 2004.

TURNER, K. L.; MAKHIJA, M. V. Academy of Management Review, v. 31. n. 1, 197-217. 2006.

VILLAS, M.; MACEDO-SOARES, T. D. L.v.A. de; RUSSO, G. M. Bibliographical Research Method for Business Administration Studies: a Model based on Scientific Journal Ranking. BAR. Brazilian Administration Review, v. 5, p. 139-159, 2008.

WHITE, S.; LUI, S. S. Distinguish Costs of Cooperation and Control in Alliances. Strategic Management Journal, v.26, p. 913-932, 2005.

WILLIAMSON, O. E. The Economic Institutions of Capitalism: Firms, Markets, Relational Contracting. New York: Free Press; Collier Macmillan. 1985.

ZAHEER, A.; MCEVILY, B.; PERRONE, V. Does Trust Matter? Exploring the Effects of Interorganizational and Interpersonal Trust on Performance. Organization Science, Vol. 9, n. 2, mar. - abr, 1998. p. 141-159.

ZAND, D. E. Trust and managerial problem solving. Administrative Science Quarterly, 17, p. 229-239. 1972.

ZICA, R. M. F.; MARTINS, H. C. Sistema de garantia de crédito para micro e pequenas empresas no Brasil: proposta de um modelo. Revista de Administração Pública — Rio de Janeiro 42(1):181-204, jan./fev. 2008.

YIN, R. K. Estudo de Caso: Planejamento e Métodos. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2001.

Downloads

Publicado

2014-04-22

Edição

Seção

Artigos Científicos