Percepção dos usuários sobre práticas Integrativas e complementares: estudo de intervenção da automassagem em uma capital nordestina

Autores

  • Antonio Genilson Novaes - Segundo Instituto Pernambucano de Ensino Superior
  • Laíla Pereira Gomes da Silva Universidade Federal da Pernambuco
  • Jéssica Mascena de Medeiros Universidade Federal da Paraíba
  • Adriana Cytha Pinho da Franca Instituto Pernambucano de Ensino Superior
  • Etiene Oliveira da Silva Fittipaldi Universidade Federal da Pernambuco

DOI:

https://doi.org/10.19177/cntc.v8e1520199-16

Palavras-chave:

Terapias complementares, Massagem, Sistema Único de Saúde

Resumo

Introdução: A automassagem destaca-se na Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC) como proposta de meio terapêutico eficaz e de simples aprendizado que reforça o autocuidado e a autonomia do usuário na perspectiva de prevenção, promoção e recuperação da saúde. Objetivo: Descrever as percepções dos usuários praticantes de automassagem em um serviço referência da PNPIC em capital nordestina. Materiais e método: Estudo transversal e descritivo, com abordagem qualitativa, realizado com usuários de 18 anos ou mais, participante de prática guiadas semanais de automassagem no Serviço Integrado de Saúde do Recife. Os dados foram coletados a partir de formulários socioeconômicos e entrevistas semiestruturadas gravadas e transcritas, com posterior análise pela técnica do Discurso do Sujeito Coletivo. Resultados: Houve predomínio do sexo feminino, com 63,1±10,5 anos, perfil de patologias crônicas, renda familiar entre um e dois salários mínimos e vivência com a prática entre um e dois anos. Os discursos destacam a percepção de melhorias relacionadas às queixas principais, com relaxamento, maior autoestima e diminuição de dores, o que foi incentivador da prática individual e sua divulgação e realização entre amigos e familiares. Destacou-se negativamente a existência de barreiras de acesso devido ao horário, distância do local e filas de espera. Considerações finais: A automassagem evidenciou-se enquanto prática positiva sobre as percepções corpo e bem-estar dos sujeitos em um cenário que vai de encontro ao modelo biomédico vigente. Espera-se contribuir na tomada de decisões voltadas à ampliação do desenvolvimento das PICS nas redes de atenção à saúde.

Biografia do Autor

Laíla Pereira Gomes da Silva, Universidade Federal da Pernambuco

Departamento de Fisioterapia da UFPE

Laboratório de Fisioterapia e Saúde Coletiva

Jéssica Mascena de Medeiros, Universidade Federal da Paraíba

Departamento de Fisioterapia da UFPE

Laboratório de Fisioterapia e Saúde Coletiva

Etiene Oliveira da Silva Fittipaldi, Universidade Federal da Pernambuco

Professora Adjunta do Departamento de Fisioterapia da Universidade Federal de Pernambuco UFPE, na disciplina Fisioterapia aplicada à Saúde Coletiva.

Downloads

Publicado

2021-03-17

Edição

Seção

Artigos originais